Peço desculpa aos meus "amigos"

Em Julho de 2017 escrevi um texto em que pedia desculpas aos meus "amigos" por estar doente. Hoje, e como a médica ainda não me deu alta, e tenho dias em que não estou tão bem, esse texto continua atual e a fazer sentido: 

Sempre disse que mais depressa se conheciam os verdadeiros amigos no sucesso do que na tristeza. Mas desde que adoeci que tenho vindo a constatar outra coisa: os amigos conhecem-se nos extremos. No extremo da felicidade e no extremo da tristeza. Os que não são amigos não gostam de pessoas felizes com a vida, assim como também não querem estar perto de alguém com problemas e sempre triste. 

Eu mudei muito desde que me diagnosticaram um esgotamento mental. Este problema mudou-me. Estou mais séria, tenho menos vontade de sorrir, ando mais irritada, sempre com dores de cabeça, muito mais cansada, e são poucas as vezes em que me apetece sair de casa e conviver um pouco com outras pessoas... O meu refúgio tem sido a minha família e quando resolvemos passear, vamos mesmo só nós. 

As pessoas têm notado que estou diferente. E a reação foi... afastarem-se. Eu sei que podia fazer um esforço, fingir que está tudo bem, colocar um sorriso... Mas às vezes é mais forte do que eu e, na maioria, as dores não são possíveis de disfarçar. Mas a questão é: os amigos não perguntam o que se passa? Não querem saber o que tenho? Pelas costas chamam-me enjoadinha? 

Não, não são amigos. São pessoas que apenas querem saber dos seus próprios problemas e não gostam de pessoas que estão a passar uma má fase, preferindo deixa-las de lado. Aliás, são aquelas que não entendem porque é que alguém chega ao meu estado e julgam sem conhecimento de causa. Dá trabalho ouvir e perceber, não é? 

Bom... Se calhar o que tenho a fazer é pedir desculpa. É isso? Então, desculpem lá qualquer coisinha, queridas pessoas que já não gostam de conviver comigo. Desculpem a minha doença, desculpem o meu desânimo, a minha ausência, e desculpem as minhas dores e o meu cansaço extremo. Mas isto passa, sabem? É passageiro e os sorrisos vão voltar. Só não sei se voltarão para vocês... 


[Foi só um pequeno desabafo...  Às vezes não é fácil lidar com a opinião dos outros...]

5 comentários:

  1. Somos seres sociais e, inevitavelmente, a opinião dos outros afecta-nos, por muito que não queiramos. Infelizmente, a maioria das pessoas não é altruísta o suficiente para compreender os problemas dos outros. Se se afastaram é porque não interessam e essas aspas fazem todo o sentido. O Amigo não se afasta, apenas respeita o teu espaço para que quando te sentires melhor possa estar lá, de novo, de braços abertos para te receber. Por isso: antes poucos e bons do que muitos e duvidosos.
    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
  2. Não acho que tenhas que pedir desculpa, bem pelo contrário. Quem tem que pedir desculpa são os teus supostos "amigos" que te abandonaram quando mais precisavas.
    A vida por vezes prega-nos partidas e há alturas da vida em que sentimos que tudo desaba. E não nos conseguimos erguer sozinhos. Felizmente que há a família que ajuda mas os amigos também deveriam fazê-lo, porque um dia, poderão ser eles a passar por isso!

    ResponderEliminar
  3. Não peças desculpas a quem não está presente para as receber. Quem não te mostra o respeito de estar contigo quando mais precisas, não merece sequer que percas tempo a pensar neles.
    Foca-te em ti e em melhorar, respeita o teu tempo, dias melhores virão, não desistas, nem te apoquentes com quem não te aceita, em todas as fases da tua vida.
    Doenças do foro mental ainda são muito tabu, a sociedade está quase que "treinada" para ver quem as sofre como maluquinhos e coitadinhos e têm tendência a afastar-se porque pode pegar-se, sabias? :) ahaha
    Muito honestamente... mas mesmo muito honestamente, Só faz falta quem está. E TU fazes falta. Se não fazes a eles, hás-de fazer ao resto do mundo que tens por conhecer.

    ResponderEliminar
  4. Olha minha querida, só te digo que este texto me fez ter imensa vontade de escrever algo assim aos meus amigos
    Porque em fins de 2016 também me foi diagnosticada depressão, não fui propriamente bem acompanha em todos os sentidos e o médico só me receito medicação para seis meses, resultado. Tive uma recaída meses depois e agora ainda aqui estou. Com depressão de novo, esgotamento por causa dos estudos e ansiedade oh que bom...
    E mudei, mudei muito como tu, fechei-me, não quero sair. E lá está, nem toda a gente entende estas mudanças e somos super criticada, bem sei.
    Olha, só te digo que continues a ter luz, de ti e para ti, porque eu sei que apesar de tudo tu és capaz de ter luz*
    Mantém estes amigos por perto, agarra-te à família e continua a tua luta. You can do (win) this! <3

    ResponderEliminar
  5. Obrigada pelas vossas palavras! De coração ♥

    Beijinhos a todas!

    ResponderEliminar

Hi there!

*Leave joy, take joy.* ;)