Enquanto a chuva cai...


Há dias em que odeio a chuva e só penso em como atrapalha. Mas, depois, há os outros dias em que adoro ouvir a chuva cair lá fora. Hoje é um desses dias. Enquanto trabalho, aquele som é uma espécie de música para os meus ouvidos. Escrevo, leio, revejo, pesquiso, de vez em quando olho para a janela e vejo a chuva a cair sem parar... Respiro fundo... Estranhamente (ou não tão estranho assim), sinto-me bem. Parece que ganho um novo fôlego para continuar este trabalho... 

Sou só eu?

Boa segunda, boa semana!


Nada como um fim de semana com algum descanso para me devolver a calma e levar aquelas preocupações chatinhas e desnecessárias. Tenho sentido que fico demasiado nervosa ultimamente e preciso mesmo de reaprender a relaxar e a pensar de forma mais positiva, mas quero convencer-me que esta minha ansiedade desnecessária ainda é fruto do meu esgotamento e eu preciso de limar ainda mais esta aresta. Acredito que vou lá com o tempo, pois como a médica me dizia muitas vezes nas consultas: com calma tudo se faz e se chega longe. 

Pensamento positivo, calma no coração e vai correr (sempre) tudo bem! 

Inspira, expira... não pira.

Hoje está a ser um dia particularmente stressante para mim. Acordei com uma sensação estranha, um nó na garganta que não sei explicar. Um pressentimento esquisito, alguma coisa a querer dizer-me alguma coisa e, ao mesmo tempo, uma certa angústia a apoderar-se de mim. Pensando a fundo, analisando tudo, acho que não tenho motivos para tal estado, mas tenho andado o dia todo assim, estranhamente estranha. Acho que sou eu a complicar mais uma vez, quando devia respirar fundo e deixar estes sentimentos menos bons sair. Porém, assim que expiro, volto a sentir tudo outra vez. 

Bah! Este texto não faz algum sentido, assim como eu! Mas é assim que me sinto hoje. À toa e sem sentido. 

Espero que passe. 

O que desejo para hoje (e todos os dias)

Há dias, como o de hoje, em que me ponho a pensar no que desejo para a minha vida. Surge sempre muita coisa em mente, e para além dos desejos mais comuns e que todos nós pedimos sempre, há sempre coisas novas que desejávamos ter ou fazer. Mas nem é desses que quero falar.

Por muitos desejos que possa ter, umas coisas mais possíveis outras menos, há sempre um que eu nunca me esqueço de pedir, por me parecer ser o que mais pode influenciar os outros: saúde. Peço sempre saúde para mim e para os que me são próximos, pois sem ela julgo que tudo perde o sentido. Talvez não perca, mas a verdade é que sem saúde a nossa vida muda toda. 

É por isso que o meu desejo de hoje é saúde. Para hoje e para todos os dias. 

E para além do pedido, quero igualmente agradecer. 


Por toda a saúde que tenho tido até agora, eu e os meus, e porque tudo o que foi surgindo teve sempre solução. Estou muito grata. 


♫ Cá por casa toca... ♫



O fim de semana está aí... Que seja bom, que seja perfeito, com muito amor à mistura... 

Já não sei o que fazer...


Dezembro e Janeiro foram meses de doenças para o M. E desde essa altura que ele ficou mais carente e muito mais dependente dos pais. Não posso sair do escritório para ir à cozinha, por exemplo, sem que ele venha atrás de mim quase a gritar: Ó mãe! Onde estás?!

Ir para a escola era um gosto enorme. E ele continua a gostar, mas tenho que lhe dizer mil e duzentas vezes que venho para casa trabalhar, que não vou sair, e que na hora habitual estou lá para o buscar. E antes de vir embora, tem que me vir dizer duas ou três vezes "xau". Mas, hoje, por exemplo, ficou a chorar e queria muito que eu lá ficasse com ele. Não queria vir comigo para casa, queria mesmo ficar, mas eu tinha que estar presente também. 

Quando o pai chega a casa, o M torna-se a sua sombra. Está onde ele estiver e para o adormecer é sempre o pai. Já era, mas agora não o dispensa de maneira nenhuma. Piorou, até, porque acorda de madrugada quase sempre a chorar e vem chamá-lo ao nosso quarto para ir colocá-lo a dormir novamente. Não pode ser a mãe, tem que ser o pai, sempre o pai, que já anda de rastos com tão poucas horas de sono. 

Basicamente, ninguém dorme muito cá em casa, muito menos o M. É um castigo convencê-lo a ir para a cama, acorda a meio da noite e às 7h já está a pé (e fresco que nem uma alface!). A sesta, bom, nos dias em que está mesmo K.O. é tiro e queda para adormecer, nos outros, só se for amarrado (que, obviamente, não vai. Não faz a sesta e eu já nem insisto só para evitar a enorme birra que faz). 

Já não sei o que fazer para o acalmar e torná-lo novamente mais independente. Explico-lhe mil vezes que a mãe e o pai não vão desaparecer, que ele nunca vai ficar sozinho em casa - nem em lado nenhum - que vou estar sempre à sua espera enquanto ele estiver na escola ou nos avós... Mas nada parece surtir efeito! Não sei o que aconteceu com ele que possa ter despoletado todo aquele receio que tem de ficar sem nós, mesmo que por milésimos de segundo...

Quanto ao sono... Quantas técnicas já experimentei para que ele volte a dormir tranquilo e uma noite completa? Já perdi a conta! E ele que sempre dormiu tão bem desde bebé... 

Espero que seja uma fase (que já vai muito longa) e aguardo dias (e noites) melhores... 

Mas se alguém tiver uma super dica, eu agradeço daqui até à lua. ☺

♫ Cá por casa toca... ♫



Here we are
On earth together
It's you and I
God has made us fall in love
It's true
I've really found
Someone like you

Will it say
The love you feel for me
Will it say
That you will be by my side
To see me through
Until my life is through

Well in my mind
We can conquer the world
In love you and I
You and I, you and I

I am glad
At least in my life
I've found someone
That may not be here forever
To see me through
But I found my strength in you

'Cause in my mind
You will stay here always
In love you and I
You and I, you and I
You and I

In my mind
We can conquer the world
In love you and I
You and I, you and I

Para esta semana...


Investir mais em mim. 
Investir mais no que gosto, no que me faz sorrir, no que me faz sentir bem e em paz. 
Investir mais em mim e naqueles que estão comigo nos dias cinzentos e nos dias coloridos. 

Sensação de paz

Nem consigo descrever este sentimento de paz que trago comigo agora... O coração está bem mais leve! Ao fim de tanto, tanto tempo, consegui resolver um assunto que me atormentava e colocar uma pedra sobre ele. T Ã O  B O M! 


(Des)Complicar

Tenho sentido que ando a complicar demasiado as coisas. Quando surge algum pequeno contratempo faço um pequeno drama disso. Por exemplo, o M está um pouco constipado (sim, outra vez), mas é mesmo uma coisa ligeira (a não ser que piore entretanto... Vêem? Já estou a complicar...) e assim que ouvi o primeiro espirro dele e a primeira tosse, fiquei logo em estado de alerta e comecei imediatamente a medir-lhe a temperatura. Um exagero, eu sei. Mas em minha defesa devo dizer que desde dezembro até fins de janeiro o M esteve quase sempre doente, por isso... tenho uma desculpa. Ou então não tenho. É que ficar demasiado nervosa ou a pensar no pior não ajuda nada, só complica, só me faz ficar ainda mais ansiosa. E eu não era assim, pelo contrário, relativizava mais, mas - não sei - de há uns tempos para cá fico bastante insegura em relação a quase tudo. Se calhar, esta minha insegurança ainda é fruto do esgotamento e é algo em que tenho que trabalhar para melhorar... É que gostava mesmo muito de ser mais descomplicada*, mais descontraída, como vejo muitas mães e outras pessoas a serem... Só iria ser benéfico para mim. Será que consigo? 


*Acho que encontrei um novo foco para o mês de Março: descomplicar. 

♫ Cá por casa toca...



Tu é trevo de quatro folhas
É manhã de domingo à toa
Conversa rara e boa
Pedaço de sonho que faz meu querer acordar
Pra vida

Em Fevereiro...


Expliquei aqui que todos os meses ao longo deste ano iria dedicar-me a algo que me fizesse sentir bem. Em Janeiro decidi que seria o mês para cuidar mais de mim em todos os aspetos. Vou continuar a fazê-lo em Fevereiro, claro, porque afinal é um processo que deve ser contínuo, mas este mês a minha decisão recaiu em dedicar-me mais à leitura. Tenho na mesinha de cabeceira muitos livros à espera de serem lidos. Alguns já tinha começado mas perdi-lhes o fio à meada, e outros estão simplesmente ali, a ganhar pó. Só lhes toco quando é o dia da limpeza cá por casa. O que está errado, muito errado, e por sabê-lo, quero mudar isso. Sempre gostei tanto de ler, não sei porque deixei de o fazer. Bom, saber eu sei. Na maioria das vezes aproveito para espreitar o instagram naqueles minutinhos antes de dormir e, quando dou por ela, já estou cheia de sono e sem vontade de ler. Outras, leio duas linhas e adormeço de tão cansada que estou. 

Já escolhi o livro para começar ainda hoje. Não quero falhar. A leitura faz maravilhas à mente e eu quero muito recuperar este gosto. 



Bem vindo Fevereiro! 
Que tragas mais sorrisos e mais dias de sol! 
E que a serenidade venha contigo.