Palavras bloqueadas


Não tenho escrito tanto como gostaria. Antes, as palavras fluíam naturalmente e havia um post para partilhar todos os dias. Podia ser sobre qualquer coisa, mas escrevia e não ficava largos minutos a olhar para o monitor do computador à espera das palavras certas. Agora, elas estão numa espécie de bloqueio. Escrevo uma linha, apago, volto a escrever, volto a apagar... Nada parece fazer sentido. É tudo incoerente. A inspiração já não é o que era. Ou será o gosto pela escrita? 

Nestas ausências já ponderei em fechar o blogue. A verdade é que este pequeno mundo já não é o que era. Mas, depois, recuo na ideia e penso que gosto demasiado deste meu passatempo e deste meu pequeno refúgio de escrita. Além disso, tenho vindo a descobrir outros blogues, mais intimistas e pessoais, isentos de publicidade e patrocínios (nada contra esses, atenção), e tem valido muito a pena acompanhá-los. E é neste nicho que quero ficar. E neste registo também. 

Só espero é que a inspiração regresse rapidamente. 

7 ♥

(Clicar para ouvir esta música perfeita)




Hoje é um dia especial. Hoje é dia para celebrar o Amor.
Há 7 anos dissemos o sim.
Sim, nos dias felizes. 
Sim, nos dias de tristeza. 
Sim, perante as dificuldades e os obstáculos que a vida nos colocou à frente. 
Dissemos sempre sim um ao outro. 
Sim ao nosso Amor. 
E queremos continuar a dizer sim. 
Sim a nós, juntos, unidos, e com o desejo de multiplicar o Amor. 

E venha mais uma semana!


Olá!


Está aí alguém? Ou continuam todos de férias?


Estranho silêncio

O pequeno príncipe ainda só vai para a escola da parte da manhã. Podia ir à tarde mas como ele, de vez em quando, ainda faz a sesta, escolhi assim (depois de ter falado também com a educadora). Dormir uma pequena sesta ainda é importante na idade dele, por isso não quero, para já, abdicar disso. Além disso, ele está a sofrer uma grande mudança na sua rotina diária, então achei por bem fazê-lo de forma gradual. Aos poucos acho que não custa tanto (nem a ele, nem a mim). Quando estiver mais ambientado e começar a demonstrar vontade de ficar mais tempo na escolinha, assim o será. 

Estes primeiros dias com ele fora de casa foram esquisitos. A casa estava estranhamente vazia e silenciosa e fez-me ouvir a sua vozinha, sempre pronto a tagarelar qualquer coisa: Mãe, não consigo chegar àquele carro! Mãe, quero água! Oh, mãe! Quero bolachas! 

O meu pequeno príncipe está a crescer. E é muito bom vê-lo crescer e a aprender coisas novas todos os dias. E, obviamente, a escola é muito importante para a sua formação. O que me está a custar mais nesta nova etapa é perceber que ele começa agora a ser cada vez mais do mundo e menos meu. Com tudo o que isso implica. E por já cá andar há 35 anos é que estou com o coração apertadinho, a pensar que não vou conseguir protegê-lo sempre de tudo e de todos. Sim, sim, eu sei que faz parte do crescimento e da vida, é assim com toda a gente, foi assim comigo e sobrevivi. Mas, caramba, custa na mesma e não consigo evitar de me sentir assim: feliz e ao mesmo tempo estranhamente apreensiva. 

Imagem de Cara Loren 

Não sei quem está mais ansioso, se ele, se eu


Esta semana o M começa a escola. Pela primeira vez. E eu, confesso, começo a ficar ansiosa. O dia aproxima-se e surgem as dúvidas, as mil e uma perguntas na minha cabeça. Será que se vai adaptar bem? Vai chorar? Vai ser bem tratado? Vai desenrascar-se? Vai gostar da educadora? E tantas outras perguntas mais que vão aparecendo a cada minuto... 

Eu acredito que vai correr tudo pelo melhor. Ele gosta imenso de brincar com outras crianças e aproxima-se deles com facilidade, sem timidez. Por outro lado, é um menino "fácil", ou seja, se alguém lhe der um pouco de confiança, for um pouco mais simpático, ele não tem medo e vai com quem não conhece. Não imaginam o que isto me preocupa! E, na escola, não sou eu que estou a controlar... Claro que estou sempre a explicar quem vai buscá-lo à escola, que não pode aceitar nada de estranhos, mas a ingenuidade dele não o deixa ver a maldade nas pessoas. 

Bom... Nada de pensar no pior. Importa agora que ele se adapte bem à escola, à nova rotina que vai entrar na vida dele. E eu só quero que seja feliz! 

Está a ficar crescido o meu bebé! ♥

Acho que tenho que ir à bruxa

O título é só parvo, não liguem. É só porque ando em maré de azar... 

Comecei a semana com um acidente de carro. Um valente acidente, diga-se de passagem! A outra condutora não respeitou o sinal de stop e veio embater em mim. Ah... Aquele barulho... Aquele estrondo dos carros a chocar um no outro... Acho que tão cedo não me vai sair da cabeça... 

Não sei como saí ilesa, sem hematomas para contar a história, porque o acidente foi mesmo feio e o carro ficou mais feio ainda, mas saí e estou aqui a relatar o que se passou, embora ainda a recompor-me do enorme susto que apanhei. Confesso que quando vi o outro carro a galgar o meu, temi o pior... 

Felizmente, estou bem, está tudo bem e agora é tratar das burocracias que englobam um acidente e pensar numa solução para o carro... E agradecer, porque podia ter sido muito pior... 

Do alívio

Quem me tivesse visto ontem naquele consultório médico, facilmente iria perceber que eu estava prestes a falecer de ansiedade e que renasci no instante em que a minha mãe saiu e me deu as primeiras notícias. Tememos o pior, andei vários dias a pesquisar sobre aquela doença que o meu pai poderia estar a sofrer mas, felizmente, não é disso que se trata. Ufa! Ainda há um problema a resolver, porém, quero acreditar que o pior já passou. 


De volta


Estou de volta ao trabalho e à rotina. Sabe bem ir, fugir um pouco dos hábitos diários, mas também sabe muito bem voltar ao que nos é familiar, ao que é nosso. É sinal que estamos bem aqui. 

E hoje, particularmente hoje, estou a fazer um esforço maior para me concentrar no trabalho. Não porque estive de férias, porém porque não quero que a mente se desvie para a consulta de hoje. Não sei se as notícias que trarei de lá serão as melhores, mas não quero pensar nessa hipótese. Quero manter o pensamento positivo. Vai correr tudo bem! 

Setembro


Podia ser sempre setembro? 

Este é o meu mês. O mês do meu aniversário (é hoje!), do meu casamento, dos dias que mais me fazem sorrir. 

Este é o meu inicio do ano, a altura em que tudo se renova para mim. 

Faço resoluções, traço objetivos e analiso o que ficou para trás. 

E recomeço. Com nova energia, nova esperança e uma renovada vontade de viver e escolher a alegria. 

Bem-vindo Setembro!