15 de maio de 2017

A idade dos porquês (e dos para quê)

- Mãe, por que é que vamos sair?
- Por que é que tenho que calçar as sapatilhas?
- Mãe, porquê tens que ir trabalhar no computador?
- Por que é que o telémóve está a tocar?
- Mãe, porquê compraste pêguedos?
- Mãe, por que é que vamos comer?

- Mãe, para que serve o nosso carro? 
- Para que serve a camisola?
- Para que é isto?
- Mãe, para que servem as mãos? 
- E as pernas para que são?

- Mãe, porquê tenho cabelo? 
- E porquê tenho que o ir cortar?
- Mãe, oh mãe! Porquê estás a chamá-me?

(...) 


E é isto, todo o santo dia, todos os dias (sim, o M fala mesmo assim, tal como escrevi). São inúmeras as perguntas que ele faz, sobre tudo o que lhe desperta a curiosidade. Quer saber porque a lua está escondida, para que serve o sol e o vento e por que é que a bola se chama bola. Às vezes é cansativo ouvir tantos porquê e para quê (haja paciência), mas a maior parte chega a ser muito engraçado. E a verdade é que esta idade, dos 3 anos, é muito catita. Ele está muito expressivo e imaginativo e não há um dia em que não solte uma gargalhada à conta do que ele faz ou diz. É o melhor dos meus dias, este meu M. ♥

Sem comentários: