31 de março de 2017

Entrei em modo fim de semana




Que seja bom, doce e relaxante. 😊

30 de março de 2017

Está quase!

O desafio a que me propus, um mês sem açúcar, está quase a terminar. E, deixem que vos diga, esta última semana está a ser a mais difícil de todas! Porquê? Estou naquela alturas do mês (as mulheres vão entender-me) em que as hormonas estão todas alteradas e só me apetece comer coisas doces. 


Só para verem como isto está mau: já me apeteceu Nutella, um sundae de chocolate, um chocolate (ou vários), um croissant com doce de ovo, bolo de iogurte... e podia continuar mas acho que já chega (ah ah ah!). 


Basicamente, tudo o que leva açúcar já fez parte dos meus desejos esta semana. Felizmente, até agora, consegui resistir e fui-me "vingando" nos frutos secos, no entanto, deixem que vos diga, não está ser nada fácil! Não sei o que é estar de ressaca mas acredito que deve ser bastante semelhante ao que sinto neste momento. 


Bom... É cedo para fazer um balanço, mas acho que posso dizer que me portei bem! Ainda assim, não quero festejar já pois ainda falta um dia e muita coisa pode acontecer em 24 horas. 😉

29 de março de 2017

Eu disse que ele tinha muita imaginação...

Pequeno M. à procura da avó: 

- Avó, avó, onde tu 'tás?

Como não ouve resposta, vira-se para mim, coloca as mãos na cara... 



(Ler a próxima frase com muita entoação e muito melodrama.)

- Oh,não! A avó desapareceu! Um fantama levou-la! 

E é isto. Imaginação ao rubro! 😂

28 de março de 2017

27 de março de 2017

Era só isto...


Um dia se sol, uma temperatura agradável e eu de férias... 
Não custa sonhar, pois não? 😉

24 de março de 2017

22 de março de 2017

Falemos de outras coisas (bem melhores)

Como está a correr o desafio "um mês sem açúcar"? Bem... Acho que posso dizer que está a correr bem, com a excepção de no fim de semana não ter resistido a uma bomboca de chocolate e coco. 


Mas até então tinha cumprido religiosamente o desafio e, apesar da tentação do fim de semana, já voltei a entrar na linha. 

Acontece que no fim de semana passado fomos passear até Óbidos e aproveitamos para visitar o Festival de Chocolate. Uma vez lá, não consegui mesmo resistir àquela deliciosa bomboca. Já não saboreava uma há tanto tempo! Fez-me recuar até à infância e lembrei-me da minha avô que costumava comprar-me sempre algumas. 

Em relação ao Festival de Chocolate, tenho que confessar que esperava outra coisa. Acho que ia com demasiadas expectativas e, apesar de não ser mau, também não é algo de extraordinário. Valeu pela bomboca e pelos chocolates que trouxe para casa que, dizem (eu não provei), eram muito, muito bons. Ah! E as esculturas de chocolate também eram engraçadas. 



Mesa toda feita em chocolate
Amy Winehouse em chocolate

Apesar de não ter gostado muito do festival, adorei Óbidos! Já lá tinha estado em pequena, mas não tinha muitas memória da vila. E só por ela vale muito a pena passar lá o dia e explorar cada canto. 





Do alto das muralhas, a vista sobre a Vila

Foi um Domingo diferente e muito divertido. A repetir (numa outra cidade) sem dúvida alguma. 😊

21 de março de 2017

Sabem?

Estou cansada. Cansada de me sentir assim, doente, e achar que todo o meu esforço para melhorar está a ser em vão. Confesso que nunca pensei que fosse tão difícil tratar esta doença. Bem... difícil não é, mas é muito demorado. E há dias, como estes últimos, em que desespero. Quero sentir-me bem, com energia, quero voltar a sentir-me Eu! Mas se há alturas em que acho que estou no bom caminho, que estou quase lá, há outras em que me sinto a recuar e estou a tentar alcançar o impossível. Ultimamente tenho me sentido assim, a remar contra a maré e quase a deixar cair os remos... 






20 de março de 2017

Podia ser assim...


Num estilo confortável, com malas prontas para uma viagem... 
E uma coisa eu sei: não haveria data para um regresso. 

15 de março de 2017

É este o objetivo...

Conseguir alcançar este equilíbrio...


Hoje não tenho força para descrever como me sinto, mas quem sabe amanhã ou outro dia eu o faça. Uso a escrita como escape mas hoje não consigo ir mais além disto... 

14 de março de 2017

"Para todo o fim, um recomeço"




[Estou mesmo a precisar de um reforço de positivismo...] 

13 de março de 2017

Como começar bem a semana?

A ser assaltada em plena rua! 


E, para além de não ter ganho para o susto, fiquei com um prejuízo que só de me lembrar fico com uma enxaqueca! Documentos pessoais, cartão de multibanco, cartões vários, dinheiro, um documento do banco, fora o valor da carteira (que para além do monetário, tinha valor sentimental pois tinha sido oferecida). Enfim... E a trabalheira que vou ter para pedir segunda via dos documentos? Sem mencionar a despesa que vou ter com isso. Só para o cartão multibanco são cerca de 19€... Que raio de sorte a minha! 

11 de março de 2017

Que não o sejas

Rafael é o segundo nome do meu pequeno. Às vezes chamo-o pelos dois nomes, como hoje: 

- M. Rafael, anda cá. Está na hora de tomar banho. 
- Não sou infiel nada, mãe! Sou o M.! Não quero ser infiel nada! Ponto!

Que nunca sejas infiel meu filho. Mas Rafael serás sempre. 

😂

[Já me tinham dito que os três anos eram férteis em imaginação. E lá imaginação tem este meu filho! Ah ah ah!]

10 de março de 2017

Gostava de...

Conhecer Londres. E Paris. E Nova Iorque. 
Ir de férias já amanhã. 
Provar sushi. Sim, nunca comi sushi, acreditam?
Perder peso (estou a trabalhar para isso e já lá vão 3 kg! Palmas para mim!). 
Ter mais dois filhos. 
Ter mais tempo livre.
Não ter insónias noite sim, noite sim senhor. 
Não sofrer de enxaquecas (estou com uma que nem com o comprimido de SOS abranda...). 
Ter mais seguidores no blog. 
Ganhar algum dinheiro no euromilhões (não custa sonhar, pois não?).
Ter uma conversa séria com uma pessoa (às vezes é preciso).

E gostava ainda...

Que nunca me faltasse o sorriso, nem a mim, nem aos meus, assim como a saúde. 
De ser sempre capaz de manter o pensamento positivo e a esperança no coração. 


9 de março de 2017

[In]Justiça

Há uns tempos vi-me obrigada a apresentar uma queixa na polícia. Depois de muito pensar, de muito ponderar, de me aconselhar com quem trabalha no ramo, ganhei coragem e fiz o que achei ser o melhor. E para meu espanto já obtive resposta! 

Honestamente, achei que ia demorar anos até olharem para o meu caso, mas não. Algumas semanas depois, eis a resolução para o meu caso. 

Ou não. A verdade é que fica tudo por aqui. Como vem escrito, fica arquivado porque as provas apresentadas não têm substância para darem seguimento à queixa que apresentei. E pelo que entendi, não são graves o suficiente para prosseguirem com uma averiguação do caso. 

Sabem como me sinto? Um boneco. Uma marioneta. Confesso, até, que me sinto ridícula. E frustrada. Comete-se um crime, porque foi o nome que lhe deram, e fica assim? As pessoas podem fazer o que quiserem, podem fazer da vida dos outros um inferno, que a justiça pouco ou nada faz? Ou então só atua em casos muito mediáticos e muito graves? Não percebo... 

Continuamos no mesmo. Mas uma coisa eu prometi a mim mesma: na minha felicidade ninguém interfere. Só eu. 


In Love ♥


Estou apaixonada por esta música! É linda, linda! 
E estou a adorar, a amar, o novo álbum de Ed Sheeran. 


♫ I found a love for me
Darling just dive right in, and follow my lead
Well I found a girl, beautiful and sweet
I never knew you were the someone waiting for me

Cause we were just kids when we fell in love
Not knowing what it was, I will not give you up this time
But darling just kiss me slow, your heart is all I own
And in your eyes you’re holding mine

Baby I’m dancing in the dark, with you between my arms
Barefoot on the grass, listening to our favourite song
When you said you looked a mess, I whispered underneath my breath
But you heard it, darling you look perfect tonight

Well I found a woman, stronger than anyone I know
She shares my dreams, I hope that someday I’ll share her home
I found a love, to carry more than just my secrets
To carry love, to carry children of our own
We are still kids, but we’re so in love, fighting against all odds
I know we’ll be alright this time
Darling just hold my hand, be my girl, I’ll be your man
I see my future in your eyes

Baby I’m dancing in the dark, with you between my arms
Barefoot on the grass, listening to our favourite song
When I saw you in that dress, looking so beautiful
I don’t deserve this, darling you look perfect tonight

Baby I’m dancing in the dark, with you between my arms
Barefoot on the grass, listening to our favourite song
I have faith in what I see
Now I know I have met an angel in person
And she looks perfect, no I don’t deserve this
You look perfect tonight ♫

7 de março de 2017

Um pequeno desabafo

Fotografia de Laurette van der Merwe

Se pudesse, comprava já hoje uma casa longe de toda a família. Longe o suficiente para só estar com eles uma vez por semana. É que às vezes sinto-me sufocada... 

O meu pai tem uma depressão há já alguns anos e tem dias em que é muito difícil lidar com ele. É a minha mãe a pessoa mais próxima e a que aguenta tudo mas, todos os dias desabafa comigo, que sou a que está mais perto e a que melhor entende toda a situação. Os desabafos são sempre os mesmos, quase com as mesmas palavras, e até já sei de cor as pausas que faz para falar. Espero não ser mal interpretada, e eles que não me levem a mal, mas há dias em que não me apetece ouvir nada. Há dias em que até as minhas agruras eu quero esquecer por uns minutos, quanto mais as dos outros... E o problema não é deles, é mesmo meu, que tenho por hábito tornar por meus os problemas das outras pessoas. Sendo assim tão próximas, então... piorou. 

Ora, isto faz-me mal. Devia conseguir separar as coisas mas não consigo. Por isso é que acho que só a distância física me faria sentir menos presa, pois há alturas em que é isso que sinto... Se calhar estou a ser injusta, não sei, mas não consigo evitar este sentimento... 

Ainda hoje, por exemplo, estava a marcar um compromisso para mim para amanhã e a minha mãe, que por acaso ouviu, começou a dizer que devia ter marcado para outro dia pois a essa hora tinha que sair e não queria que o meu pai ficasse sozinho. Ora não é perigoso ele não ter alguém por perto durante umas horas. Será que só podemos viver em função dele? Já não é a primeira vez que isto acontece e até cedi algumas vezes para a deixar mais descansada. Porém, além de não poder mesmo desmarcar, também acho que preciso de dizer não de vez em quando. Não por teimosia, mas porque sei que não é nenhum drama ele ficar sozinho e a depressão dele não obriga a que esteja a ser constantemente vigiado. 

Estarei a ser injusta e a agir mal?

6 de março de 2017

Descobertas

Este fim de semana passado foi de descobertas. Mas não foram as mais agradáveis... 

O que fariam se apanhassem uma pessoa da família do marido a falar mal de vocês? E depois alguém vos dizia que já não era a primeira vez? O problema é que o que ele dizia era grave... E isso deixou-me sem saber como reagir até agora... 


3 de março de 2017

A Ellie partilha...

No que diz respeito a cuidados para o cabelo, acho que posso dizer que já usei um pouco de tudo. Isto é, já experimentei quase todas as marcas disponíveis no mercado, sempre com o mesmo objetivo: encontrar o melhor para o meu cabelo seco e ondulado, sem prejudicar o meu couro cabeludo hiper sensível e reativo. Portanto, já usei produtos baratos, caros e assim assim, onde uns foram péssimas opções, outros já foram melhores e nem sempre o mais caro foi sinónimo de boa qualidade. 

Recentemente, por causa de um tratamento ao couro cabeludo, o cabelo ficou ainda mais seco do que já era, por isso estava mesmo a precisar de encontrar um bom produto hidratante. Uma colega falou-me numa máscara da Garnier e num óleo do qual já tinha ouvido falar muito bem. Resolvi experimentar, afinal os preços até eram simpáticos... 



Posso dizer que fiquei espantada com a qualidade destes produtos. Já tinha experimentado outras coisas da marca que não me tinham agradado, por isso estava um pouco reticente em relação a estes. Mas enganei-me. São realmente bons e valeram muito a pena a compra. Estou a usar a máscara duas vezes por semana e já noto diferença no meu cabelo e o óleo uso todos os dias e estou a adorar. 

Quanto ao champô da mesma gama, não experimentei porque, honestamente, não troco o meu Kerium da La Roche-Posay para cabelos secos por nada. É o único que o meu couro cabeludo aprova e que deixa o cabelo suave. 

A minha avó tinha por hábito dizer que o barato costuma ter rato, mas aqui está a prova de quem nem sempre é assim. É possível ter bons produtos a preços simpáticos.

Já experimentaram?

2 de março de 2017

Ao segundo dia sem açúcar...

Sabem aquela fase em que só apetece comer coisas doces? Bolachas, chocolates, croissants, bolos, qualquer coisa com Nutella, um gelado... Pois... Estou nessa fase (as mulheres entendem-me). Por isso, só consigo pensar que comecei este desafio na pior altura. Mas, para meu espanto, tenho resistido. Ah, mas este ainda é o segundo dia! Difícil será quando o desafio for a meio. Aí é que a porca vai torcer o rabo... Neste caso, acho que vou ser eu a torcer-me toda... 

O importante é manter o foco. Pensar que é pela minha saúde. Sim, porque é esse o principal motivo deste desafio. As análises ao sangue mostraram uns resultados não muito bons e o corpo já vinha a dar sinais de que andava a cometer excessos. Resolvi parar e ser radical, a ver se é desta que entro na linha (e no peso que já tive, se não for pedir muito). Saúde acima de tudo!


Música para os meus ouvidos

There's a place that I know, where the sycamores grow 
And daffodils have their fun 
Where the cares of the day seem to slowly fade away 
And the glow of the evening sun 
Peace, when the day is done 

If I go there real late, let my mind meditate 
On everything to be done 
If I search deep inside, let my conscience be my guide 
Then the answers are sure to come 
Don't have to worry none 

When you find peace of mind, leave your worries behind 
Don't say that it can't be done 
With a new point of view, life's true meaning comes to you 
And the freedom you seek is won 
Peace is for everyone 

1 de março de 2017

Um mês sem açúcar



Com o objetivo de ter um estilo de vida cada vez mais saudável, elegi o mês de Março como o mês livre de açúcar refinado. Serão 31 dias sem aqueles grãozinhos brancos que tanto mal fazem à nossa saúde. Portanto, nada de bolachas, bolachinhas, Nutella, chocolates, rebuçados, café com açúcar, bolos, bolinhos e tantas coisas mais que contêm aquele ingrediente. Não vai ser fácil porque, verdade seja dita, acho que sou um pouco viciada no açúcar, mais precisamente em bolachas e outras coisinhas nada saudáveis aos quais estou sempre a recorrer para pequenos snacks, com a desculpa de que não tenho tempo para preparar algo mais saudável. Mas acabaram-se as desculpas! Está na hora de desintoxicar o corpo! 

Hoje é o primeiro dia e já bebi um café sem açúcar. Que coisa horrível! Mas, vá, só custa a primeira vez, certo? Certooooo... 

Sê bom!