De A a Z, a minha pessoa... [2]




N

Não. Tenho que aprender a dizer mais vezes não. Algo que as pessoas não estão habituadas a ouvir de mim.

O

Observar. Adoro observar o ambiente em que me encontro, assim como as pessoas. Sou bastante observadora,  confesso, mas não no sentido de "cusquice". Observo com uma boa curiosidade, apenas isso.

P

Paz. O que mais gosto: de estar e de me sentir em paz.

Paciência. Por norma, sou uma pessoa bastante paciente, e por saberem isso, abusam. Até que expludo. Aí, é fugir da frente, senhores!

Q

Questões. Tenho imensas questões na minha cabeça. Sobretudo daquelas que estamos sempre a colocar à vida mas que já sabemos de antemão que não têm resposta. Sou só eu?

R

Respeito. Gosto de respeitar os outros e gosto que me respeitem. Sem este, não há relação (de qualquer tipo) que resulte.

Rancor. Não sou pessoa de guardar rancor. Já fui, mas depressa percebi que não vale a pena e quem sofria mais era eu.

S

Saúde. Sem ela não somos ninguém. E o que mais desejo para mim e para os meus é saúde. 

Setembro. É o meu mês. Um mês muito especial. O do meu casamento e do meu aniversário.

T

Turquesa. A minha cor preferida, sem dúvida.


U

Um. O dia do meu aniversário.

V

Vinte e cinco. Um número especial. 

Vida. Boa ou má, a vida é um dom. E é, também, um dom saber aproveitá-la.


X

Xaile. Faz-me lembrar a minha avó, que andava sempre com um.

Z

Zelar. Gosto de zelar as minhas coisas. Sou bastante cuidadosa, que é como quem diz, zelosa, e não gosto de estragar nada, mesmo nada. Irrito-me com facilidade se isso acontece.


De A a Z, a minha pessoa... |1|


A

Amor. Pela família. Pelo meu filho e pelo marido. Amor em tudo o que faço. Amor por mim mesma.

Amizade. Apesar das muitas desilusões neste campo, ainda não deixei de acreditar nela. Na verdadeira e cada vez mais rara.

Abraço. O que gosto de um bom abraço! Daqueles bem apertadinhos... 

B

Beijo. Quando quero, sou muito beijoqueira. Mas, uma coisa é certa: não me verão aos beijos em plena rua. Não é do meu feito, nunca foi. A não ser, claro, um beijo como cumprimento. Agora... Do estilo adolescentes-com-hormonas-aos-pulos, não. 

Baloiço. Em pequena gostava muito. Tinha a sensação que conseguia voar. E agora... Acho que ainda gosto.

C

Coração. Muitas vezes deixo a razão de lado e sigo o meu coração. Se é bom ou mau, sinceramente, não sei...

Chocolate. Impossível não falar dele. Um vício! 

D

Direcções. A vida é feita de direcções escolhidas e seguidas por nós. Eu já escolhi determinadas direcções que, ainda hoje, estou para saber se foram as mais acertadas.

E

Eu. Com o tempo aprendi a colocar-me em primeiro lugar em muitas situações e perante pessoas que só são merecedoras de estar na última posição da minha lista.

F

Felicidade. O grande objectivo de todos nesta vida. Eu costumo dizer que a felicidade não é um luxo. Está em nós, bem dentro de nós.

Filhos. Já tenho um, o M, a luz da minha vida. Estou /estamos a ponderar um segundo. Eu estou bastante indecisa, o marido - por ele - era já. 

G

Gratidão. Aprendi a agradecer todos os dias... Posso não ter tudo o que quero, mas agradeço tudo o que tenho.


H

Hipocrisia. Algo que abomino completamente. Detesto pessoas hipócritas.

Humildade. Já esta é uma característica que admiro imenso nas pessoas. Mas em excesso, não! Na dose certa.

I

Ignorar. Tenho cada vez mais certeza que ignorar certa gente e certas atitudes é mesmo a melhor solução.

J

Jornalista. A primeira profissão que quis ter. Depois desta quis fazer mais mil e uma coisas até que a vida me trouxe a profissão atual. 

L

Ler. Adoro ler e já tenho saudades de pegar num bom livro que, por falta de tempo, tem estado muito quieto na estante.

Lábios. A segunda coisa em que reparo quando conheço alguém.

M

Mãos. A primeira coisa em que reparo quando conheço uma pessoa. 



(continua...)

Tornei-me uma medricas

Permitam-me um pequeno desabafo: tornei-me uma medricas. Eu, que era a pessoa mais apologista de não sofrer por antecipação, que respirava fundo e pensava positivo, agora... Tremo só de pensar que alguma coisa pode correr mal. Ao invés de pensar primeiro de forma positiva, não... Começo a enumerar mentalmente o que pode acontecer de menos bom. Um exemplo: hoje o M chegou um pouco mais "murcho" da escola. Ele tem andado um pouco adoentado, uma constipação que é fruto deste tempo, mas assim que dei com ele a dormir no sofá, fiquei preocupada e a pensar que pode estar a "chocar mais alguma coisa". Provavelmente não é nada, tem apenas sono porque ele dorme mal e constipado dorme menos ainda, mas como já há muito tempo que não faz a sesta à tarde, estou em sentido de alerta. A probabilidade de eu estar a exagerar é muita, mas só para que percebam o quão medricas eu me tornei, depois que o M adormeceu, já lhe medi a febre duas vezes. Duas vezes, só para ter a certeza. Enfim... 

E este foi só um exemplo, podia dar outros em que se percebe ainda melhor que estou apenas a exagerar... 


Tenho que voltar a ser uma pessoa mais positiva e relaxada. Sinto que agora fico stressada por tudo e por nada, e não pode ser. Não vale mesmo a pena sofrer por antecipação, andar com os nervos à flor da pele por qualquer coisinha. Não ganho nada, só uma dor de cabeça desnecessária... 



P.S. E enquanto escrevia este texto, claro que fui averiguar se ele ainda dormia tranquilamente... 


Saudades?


Eu sei que há quem goste deste tempo mais frio... Que adore o Outono e o Inverno mais ainda. Eu própria já gostei, não me importava com o friozinho, mas depois que tive o M, esse gosto passou-me. Então desde o ano passado, em que ele esteve quase sempre doente desde que apareceram os primeiros dias de frio, comecei a detestar este tempo. Bom, não é bem detestar, sei que faz parte, mas já não consigo gostar destes dias cinzentos e frios. E, claro, bastou a temperatura descer que o M já esta doente (como estão quase todos na escola dele). Só espero que não se agrave...

Portanto, não, não tinha saudades nenhumas deste tempo de c*c*. Das temperaturas mais baixas, da chuva gelada, dos casacos e casacões, das inúmeras camadas de roupa que tenho que vestir para me manter quente - e ao M também. Não sentia mesmo falta de ligar aquecedores, acender a lareira, colocar mais um cobertor na cama, não poder abrir uma janela por muito tempo porque chove e faz frio... Enfim, acho que já deu para entender como estou entusiasmada com a chegada do inverno...  

Falta muito para o verão?